quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Faculdade Salesiana: um marco na história da educação universitária brasileira

Artigo publicado pelo professor José Luiz Pasin, no  Informativo do  IEV de maio de 2002, em comemoração ao cinquentenário de fundação da Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena, hoje Centro UNISAL de Lorena.

Faculdade Salesiana: um marco na história da educação universitária brasileira

Por José Luiz Pasin

No dia 14 de fevereiro de 1952, Getúlio Vargas, presidente da República, assinava o Decreto nº30.552, autorizando o funcionamento da Faculdade Salesiana de Filosofia, na cidade de Lorena, a segunda a ser instalada no interior de São Paulo e a primeira instituição de nível superior na região do Vale do Paraíba.

No dia 12 de março de 1952, em memorável sessão solene, com a presença de autoridades municipais, estaduais, federais, religiosos, políticos e representantes da sociedade lorenense e valeparaibana, nascia a Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena, uma “instituição livre de ensino superior, fundada e mantida sem escopo de lucro, pela Inspetoria Salesiana do Sul do Brasil, destinada a habilitação de candidatos da ordem religiosa e leigos para o exercício do magistério e de uma elite intelectual católica, fundamentada na opção aristotélica-tomista e no modelo pedagógico proposto por Dom Bosco...”.

Palacete Machado Coelho de Castro - Foto: Guto Domingues

Instalada na sede do palacete Machado Coelho de Castro, ao lado do cinquentenário  Colégio São Joaquim, a faculdade iniciou modestamente suas atividades, dirigida pelos padres salesianos e tendo como alunos os seminaristas, futuros sacerdotes. Sob a direção do Padre Carlos Leôncio da Silva, emérito sacerdote e renomado pedagogo, com uma equipe de professores, formados e especializados em universidades europeias, a nova instituição de ensino, firmou-se na região como um dos mais importantes centros de estudos, pesquisas e cultura no interior do Brasil.

Por ocasião das comemorações do cinquentenário do lançamento do livro “Os Sertões”, do escritor Euclides da Cunha, em 1952, a faculdade sediou um clico de conferências e inaugurou solenemente a Sala “Euclides da Cunha” sob a direção do médico e historiador Antonio Gama Rodrigues e com o apoio entusiástico do Padre Carlos Leôncio, projetando Lorena no cenário cultural e literário do Brasil.

Inauguração da Sala Euclides da Cunha - 1952 
Foto: Acervo IEV

Em seu auditório, a faculdade teve o privilégio de ouvir e aplaudir os grandes nomes da intelectualidade brasileira: Austregésio de Athayde, Alceu Amoroso Lima, Alves Motta Sobrinho, Arthur Cezar Ferreira Reis, Aureliano Leite, Barbosa Lima Sobrinho, Cassiano Ricardo, Cecília Lara, Francisco de Assis Barbosa, João de Scamtimburgo, Mário Graciotti, Manotti Del Picchia, Plínio Salgado, Sebastião Pagano, Tito Lívio Ferreira e outros, poetas, juristas, filósofos, e os quais em conferências memoráveis, faziam a Faculdade Salesiana, um centro de estudos, debates e reflexões sobre a realidade brasileira.

Funcionado em três núcleos separados (seminário masculino e feminino), a faculdade cresceu e formou milhares de professores, orientadores, administradores, diretores permitindo ampliação do ensino público na região valeparaibana paulista e fluminense e em todo o sul de Minas Gerais.

Ao longo destas cinco décadas, a Faculdade Salesiana cumpriu brilhantemente o seu papel de instituição universitária católica, comprometida com a realidade social brasileira com a formação humanista e integral de seus alunos, com o espírito salesiano de educar e respeitar valores e potencialidades do educando, dentro das diretrizes e normas das encíclicas pontifícias, sem abdicar de seus princípios e do respeito pela diversidade de seus alunos e professores.

Teve seus momentos de glória e viveu seus momentos de crise, não se omitindo nos grandes debates que assinalaram as mudanças ocorridas no Brasil e no mundo, em especial nos acontecimentos marcantes dos anos sessenta: o Concílio Vaticano II, as Encíclicas de João XXIII e Paulo VI, o movimento feminista, a guerra do Vietnã, as atitudes revolucionárias dos jovens, os movimentos estudantis, os acontecimentos de maio de 1968, o golpe militar de 1964 e seus desdobramentos...

A Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena é um marco na história da educação universitária brasileira, uma conquista dos salesiano e motivo de orgulho e compromisso profissional e dedicação de seus ex-alunos e professores.

Lorena e o Vale do Paraíba foram privilegiados com a instalação desta universidade, responsável pela mudança de atitudes e valores de uma sociedade agrária e conservadora, que permitiu aos seus alunos uma ascensão profissional e cívica, refletida na busca de uma nova identidade e de novos caminhos para as gerações que frequentam as suas instituições de ensino e sonham com um Brasil verdadeiramente cristão e compromissado com as mudanças sociais e políticas, alicerces de uma nova sociedade e um mundo novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário