quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

100 anos do Escritor Taubateano "Paulo Camilher Florençano"


No ano em que o XXVII Simpósio de História do Vale do Paraíba trata da Literatura e História, não podíamos deixar de lembrar de um ilustre valeparaibano que completaria 100 anos em 2013. Para tanto, trago aqui um singelo texto biográfico que apresenta este professor, escritor defensor, da cultura e da história Valeparaibana.

Auto-retrato de Paulo Camilher Florençano
Fonte: Acervo do IEV
Paulo Camilher Florençano nasceu em Taubaté em 18 de abril de 1913, filho de Nicolau Florençano e Antonieta Camilher Florençano. Foi casado com a professora e poetisa Wanda Sarmento Florençano.

Cursou primeiras letras em sua cidade natal nos grupos escolares “Moreira Barros” e  “Lopes Chaves” e o Curso secundário  na Escola Normal de Taubaté. Era licenciado em desenho e história.
Foi professor primário e secundário de desenho e história na Escola Normal Municipal de Taubaté. Desenhista-projetista do Departamento de Educação Física e desenhista-chefe da Secção de Propaganda e Educação Sanitária do Departamento de Saúde em São Paulo. Foi ilustrador do Jornal “O Correio Paulistano” em São Paulo e colaborador de assuntos de história em diversos jornais paulistanos e cariocas. Identificou  uma construção setecentistas que mais tarde passou a abrigar o Museu “Casa Bandeirante”, na qual foi responsável pelo plano de recomposição do Ambiente Rural-Doméstico. Neste mesmo período foi criado o Museu da Casa do Grito, recomposição do ambiente de um “Pouso de Tropeiro”, o qual planejou e instalou. No Arquivo Histórico Municipal de São Paulo, tendo conseguiu reatar a publicação da “Revista do Arquivo” e colaborou na preservação de dois importantes edifícios do passado paulistano, o sobrado que pertenceu a Marquesa de Santos e o antigo Mercado Municipal de Santo Amaro.

Atuando com museólogo, planejou e dirigiu a instalação dos museus: “Regional de Ubatuba”, dos “Ciclos Sócio-econômicos do Vale do Paraíba” em Aparecida; do “Museu Municipal de Artes Plásticas” em Taubaté; “Arquivo Histórico Municipal ‘Felix Guisard Filho’” em Taubaté; “Dona Beja” em Araxá, Minas Gerais; de “Arte Brasileira” em Serra Negra, São Paulo; “Taubaté no Quadro da História do Brasil” em Taubaté e a reforma do Museu da Infância “Monteiro Lobato”, a fim de torná-lo o “Sítio do Pica-pau Amarelo”.

Foi Presidente da Seção de Museus, das Comissão de Cultura da Prefeitura Municipal de Taubaté, exerceu o cargo de diretor da Divisão de Museus e Arquivo Histórico da mesma cidade.

Como jornalista, foi diretor do jornal “A Mocidade” de Taubaté, ilustrador do jornal literário “O Roteiro” de São Paulo, ilustrador da seção de Turismo do Jornal o “Estado de São Paulo”; redator da “Revista do Arquivo”; colaborador da “Revista de Geografia” da USP; responsável pela organização geral da revista “Paulistânia”.

Recebeu várias medalhas e honrarias sendo as de maior destaque “Colar de D.Pedro I”, grande láurea recebida em sessão especial do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo” a comenda “Martin Afonso de Souza”, que lhe foi outorgada pelo Instituto Histórico e Geográfico Guarujá-Bertioga, entre outras.

Participou ativamente da Revolução Constitucionalista de 1932, foi sócio benemérito do Clube Piratininga, São Paulo; Sócio fundador do Clube dos “21 Irmãos Amigos de Taubaté” do qual também foi presidente; Membro fundador do “Instituto de Estudos Valeparaibanos” do qual também foi vice-presidente, atuou como vice - Presidente do “V Simpósio de História do Vale do Paraíba”e Membro do “Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo.
O prof. Paulo Camilher Florençano faleceu em 27 de maio de 1988.

Desde 1991, um importante prêmio do Instituto de Estudos Valeparainos, recebe seu nome, o qual é destinado a destacar esforços pessoais ou institucionais em favor da memória regional, quer pela guarda e preservação dos bens culturais, quer pela defesa constante dos valores materiais ou imateriais da cultura valeparaibana no ano corrente.

Livros Publicados
Nasce uma Metrópole
Álbum de Família
Roteiro de Ubatuba
A Bandeira e O Brasão de Taubaté
Gentil de Camargo – Poesia e Prosa
Cadernos de Cultura
Roteiros das velhas sedes de fazendas cafeeiras
A Comarca de Taubaté

Os dados biográficos consultados encontram-se disponíveis no acervo e biblioteca do Instituto de Estudos Valeparaibanos em Lorena.

2 comentários: