sábado, 17 de setembro de 2011

Pharmácia Popular de Bananal


Considerada a mais antiga do Brasil, em funcionamento, a “Pharmácia Popular” de Bananal foi inaugurada em 1830 e seus ornamentos, ainda conservados, nos levam a uma viagem no tempo pois estaremos em contato com medicamentos e objetos de manipulação de época.

Fundada pelo francês Tourin Domingos Mosnier, em 1830, passou por importantes momentos históricos do nosso Vale do Paraíba, um deles a revolução liberal de 1842, movimento que teve seu estopim na vizinha cidade de Silveiras; outro foi a Revolução Constitucionalista de 1932, que podemos lembrar através de um selo que se encontra fixado na lateral de um dos armários, recordando a atuação dos proprietários da farmácia, que lá também mantiveram um pequeno acervo contendo peças dessa revolução.

Com o advento da República, os proprietários da Farmácia se viram obrigados a alterar o nome do estabelecimento de “Pharmácia Imperial” para “Pharmácia Popular”, porque, por conta da necessidade de se criar a idéia de estado republicano, o governo fez com que tanto os locais públicos como os privados substituíssem nomes, referências e símbolos que fizessem alusão ao regime imperial.

Dos detalhes do estabelecimento, o que mais nos chama a atenção são seus balcões em pinho de Riga, decorados com ânforas, contendo água colorida com anilina, a maquina registradora que ainda faz parte da decoração, os livros de receitas de diversos medicamentos da época, o rico acervo de recipientes dos componentes medicinais da época e o revestimento em ladrilhos franceses que compõem esse expressivo ambiente histórico.

O estabelecimento teve como último proprietário o Sr. Plínio Graça, que herdou a farmácia do pai Ernani Graça, que o comprara em 1922, sob a condição de não modificá-la nem se desfazer de seu acervo. Plínio Graça foi vereador e prefeito por dois mandatos da cidade de Bananal, homem que mesmo com todas as modificações que seriam necessárias para o funcionamento nos dias atuais, manteve carinhos

amente esse acervo, que é muito importante para os estudos quanto à história das farmácias no Brasil e também para conhecermos um pouco mais sobre a a evolução e as tradições dessa importante cidade de nossa região.

No dia 30 de junho o Vale do Paraíba se despediu dessa ilustre figura, o senhor Plínio Graça que faleceu aos 87 anos.

Nós , os valeparaibanos, prestamos nossas sinceras homenagens à memória desse grande cidadão que deve ser visto como exemplo por todos, para que possamos criar uma cultura de preservação e resgate de nossa história.


Fotos: Jenyfer Ramos

Texto publicado no Jornal “O Lince” – Link para acesso: http://www.jornalolince.com.br/2011/ago/pages/memoria-pharmacia.php, e acessando através do link, você tem acesso a todas as fotos de Jenyfer Ramos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário