quarta-feira, 13 de julho de 2011

Chico Barbosa - Dr. Francisco de Assis Barbosa


Francisco de Assis Barbosa nasceu em 21 de janeiro de 1914 em Guaratinguetá, para uma vida de grandes conquistas no campo da intelectualidade e ocupou um lugar no “Olimpo das Letras” como membro da Academia Brasileira de Letras eleito em 19 de novembro de 1970, para a cadeira nº 13, cujo patrono é Francisco Otaviano de Almeida Rosa[1], e membro fundador, Visconde de Taunay[2].

“Autor de uma obra em que se evidencia o rigor da pesquisa e da interpretação, escreveu “A vida de Lima Barreto”, biografia completa do grande escritor urbano, além de ter compilado e anotado a edição das Obras completas do mesmo autor, com a colaboração de Antonio Houaiss e M. Cavalcanti Proença. O livro Retratos de família é um álbum de recordações dos grandes vultos da nossa cultura. Entre os vários livros desse escritor voltado aos assuntos e problemas brasileiros, de

staca-se a biografia Juscelino Kubitschek - Uma revisão na política brasileira, e prefácios à obra de vários autores, os quais constituem verdadeiros ensaios.” (ABL, 2011)

Sua atividade como intelectual brasileiro começou em 1931 quando entrou para a Faculdade Nacional de Direito, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, intensificando-se a partir de 1934, quando passa a escrever para os principais jornais cariocas e revistas do período: “A Noite” (1934), “O Imparcial” (1935), “A Noite Ilustrada”, “Vamos Ler”, “Carioca”, “Diretrizes” (1936-1942). Foi, também, colaborador da Revista “Globo”, redator do “Correio da Manhã” (1944), do “Diário Carioca”, da “Folha da Manhã” e da “Última Hora”, (1951-1956). E ainda, editor do Jornal do Brasil por ocasião do IV Centenário da Cidade do Rio de Janeiro, em 1965.

Antonio Houaiss, José Luiz Pasin e Francisco de Assis Barbosa

Exerceu concomitante ao trabalho jornalístico, outras atividades no campo da educação, do direito, do magistério e trabalhos burocráticos em órgãos do governo federal. Em 1934, exerceu a função de Inspetor Federal, junto a Escola Técnica Nacional e à Escola Técnica Mackenzie, e em 1942-1943, técnico em educação, no Instituto Nacional do Livro, preparando textos de autores brasileiros. Foi assistente da Faculdade Nacional de Filosofia (1944-1945), e no mesmo ano, fundou a Associação Brasileira de Escritores. De 1936 a 1938, como advogado recém formado, o cargo de Delegado de Polícia nas cidades de Aparecida-SP e São Luis do Paraitinga-SP.

Em 1956 passou a fazer parte do gabinete da Presidência da República, no governo de Juscelino Kubitschek, chegando a chefe do serviço de documentação; bem como as atividades de advogado do Estado da Guanabara e membro do conselho deliberativo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI); assessor editorial da “Encyclopaedia Britannica do Brasil”, coordenador da seção de História do Brasil da Enciclopédia Barsa (1961-1965), co-editor da Enciclopédia Mirador Internacional (1971) e diretor da Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, a partir de 1966.

Foi vice-presidente da Fundação Padre Anchieta, TV Cultura de São Paulo, no ano 1975, sendo contratado, também, pelo Governo de São Paulo, para elaborar o plano de remodelação do sistema arquivístico do Estado de São Paulo, tendo participado do simpósio de arquivistas franceses, Archives Nationales, em Paris, no ano de 1976.

Em 1977 passou a integrar o corpo de diretores da Fundação Casa de Rui Barbosa, chefiando o Centro de Estudos Históricos.

Participante de entidade e órgãos culturais, foi nomeado para o Conselho Federal de Cultura, passando a integrar a Câmara de Letras em 1975; eleito presidente da Comissão de Literatura de São Paulo, em 1976, e membro do CONDEPHAT, em São Paulo, como representante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, no mesmo ano.


Autógrafo de Francisco de Assis Barbosa - Para o casal Gloria e Eboli - 1971


Obras:

Os homens não falam demais, reportagem, em colaboração com Joel Silveira(1942)

A vida de Lima Barreto, biografia (1952)

Retratos de família, ensaios (1954)

Machado de Assis em miniatura, biografia (1957)

Encontro com Roquette-Pinto, ensaio (1957)

Achados do vento, ensaio (1958)

Lima Barreto, introdução e antologia (1960)

Juscelino Kubitschek Uma revisão na política brasileira, biografia (1962)

Nominata carioca, história (1965)

História do povo brasileiro (fase nacional), em colaboração com Afonso Arinos de Melo Franco e Antonio Houaiss (1968)

A hora e a vez de Bethencourt da Silva, discurso (1972)

Santos Dumont inventor, biografia (1973)

Bernardo Guimarães: a viola e o sertão (1975)

A cadeira de Evaristo da Veiga, discurso (1981)

Os melhores poemas de Manuel Bandeira, organização e introdução (1984).

Referências:

LEITE. Aydano. Guaratinguetá e seus vultos – Para a História da Terra das Garças Brancas. Guaratinguetá, vol.2, 1967.

http://www.academia.org.br/



[1] Advogado, jornalista, político, diplomata e poeta, nasceu no Rio de Janeiro-RJ, em 26 de junho de 1826, e faleceu em 28 de junho de 1889, na mesma cidade.

[2] Engenheiro militar, professor, político, historiador, sociólogo, romancista e memorialista, nasceu no Rio de Janeiro- RJ, em 22 de fevereiro de 1843, e faleceu em 25 de janeiro de 1899, na mesma cidade.

3 comentários:

  1. Olá Prof. Diego, tudo bem? Acompanho seu blog e gosto muito da maneira com que resgata as figuras e as histórias do Vale. Escrevo um livro sobre o casal Thereza e Tom Maia para conclusão do curso de Jornalismo da Fatea e gostaria muito de tê-lo como fonte. Já entrei em contato com o sr por e-mail através do IEV, mas não sei se posso te mandar mensagens diretamente por ele.
    Gostaria muito de poder contar com o senhor!
    Meu e-mail é: annalabarreto@gmail.com
    Anna Laura Barreto

    ResponderExcluir
  2. MEU CARO PROF. DIEGO: DESENVOLVO PESQUISA SOBRE AS EDIÇÕES DE LIMA BARRETO, A QUAL TEVE GRANDE PARTICIPAÇÃO DE FRANCISCO DE ASSIS BARBOSA. GOSTARIA DE SABER SE HÁ EM GUARÁ DOCUMENTOS PESSOAIS DO BARBOSA, TAIS COMO CORRESPONDÊNCIAS, RECORTES DE JORNAL SOBRE ELE. COISAS DO GÊNERO. SE AS HOUVER, COMO SERIA POSSÍVEL UMA PESQUISA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Sim, no museu Frei Galvão de Guaratinguetá você encontra documentos, fotos e artigos relacionados a vida de Chico Barbosa e também de outros grandes escritores de Guaratinguetá. Lá o Museu funciona de segunda a sexta das 9h ao 12h e das 13h as 17h. Fica no centro de Guaratinguetá ao lado da delegacia de ensino.

      Abraços,

      Excluir