quarta-feira, 21 de abril de 2010

O Visconde de Guaratinguetá


O Visconde de Guaratinguetá, Francisco de Assis Oliveira Borges, que nasceu em 1808 em Guaratinguetá, e era filho do Alferes Inácio Joaquim Monteiro e de sua mulher Ana Joaquina do Amor Divino, e irmão do Vigário Antonio Martiniano de Oliveira e do Arcipreste Joaquim Anselmo de Oliveira.
De origem humilde, foi um dos maiores cafeicultores da região. Começou a trabalhar vendendo produtos da chácara de seu pai, na feira semanal do Largo do Rosário, em Guaratinguetá, e mais tarde, como tropeiro, conduzindo tropas e mercadorias para o Rio de Janeiro e Minas Gerais. Casou-se pela primeira vez com Ana Silveira Umbelinda do Espírito Santo, nascida em Lorena, no dia 22 de junho de 1808, filha do Capitão Francisco Gomes Sandim e de Silveira Inocêncio de Gusmão e viúva do Ajudante João Lopes Salgado Guimarães.
Exerceu os cargos de escrivão de órfãos, promotor público, sargento-mor, sub-delegado de Polícia (1845), Juiz de Paz (1849 a 1852), vereador (1833-1837), vice-presidente da Câmara Municipal no período (1849-1852), Coronel-Comandante da Guarda Nacional de Guaratinguetá (1854), e deputado à Assembléia Legislativa Provincial(1856-1857), pelo Partido Conservador.
Fundou a Santa Casa de Misericórdia de Guaratinguetá e foi seu provedor, em 1854. Protetor do Asilo do Bom Pastor, Inspetor de Obras Públicas, acionista da Estrada de Ferro D.Pedro II, membro da comissão diretora de obras da Matriz de Santo Antonio, Inspetor de Estradas e chefe do Partido Conservador em Guaratinguetá e na região.
Em reconhecimento aos seus relevantes serviços prestado à comunidade, à instrução pública e ao Brasil, recebeu as seguintes condecorações: Cavaleiro Imperial da Ordem Rosa, por decreto de primeiro de dezembro de 1848, Barão de Guaratinguetá, em 1854, Visconde de Guaratinguetá, por decreto de 1867, Grande do Império em 1871, Grande Dignitário da Ordem Rosa em 1877.
Casou-se, pela segunda vez, no dia 5 de junho de 1858, com Amélia Augusta Cazal, batizada em Guaratinguetá no dia 8 de março de 1830, filha do cirurgião-mor Rafael José Cazal, nascido da vila de Cascais, Patriarcado de Lisboa, Portugal e de Marguerite Penel, nascida em Vevey, cantão de Vaud, na Suíça.
O Visconde de Guaratinguetá foi pai de uma prole de 24 filhos, em seus dois casamentos.

Referências:

MOURA, Carlos Eugenio Marcondes de. O Visconde de Guaratinguetá – Um titular do café no Vale do Paraíba. 2. Ed., São Paulo: Studio Nobel, 2002.

PASIN, José Luiz. Os Barões do Café – Titulares do Império no Vale do Paraíba Paulista. Aparecida-SP: Vale Livros, 2001.

Para Saber Mais:

www.valedoparaiba.com/enciclopedia

Um comentário: